quinta-feira, 24 de novembro de 2016

O MUNDO TEM 30 TRILHÕES PARADOS EM PARAÍSOS FISCAIS E SE TODA PRODUÇÃO DO MUNDO FOSSE DIVIDIDA CADA FAMÍLIA RECEBERIA R$ 9 MIL POR MÊS EM MEDIA






Todos os Governos, todos os ricos industriais, comerciantes, políticos, golpistas, banqueiros corruptos, até mesmo prelados, depositam na nação neutra um tesouro que julgam estar em segurança.

O controle dessa montanha de ouro escapa em parte aos Suíços, pois alguns magnatas do mundo dos negócios são proprietários de vários grandes Bancos. 

Fora do depósitos legaisexistem depósitos secretos.

É lógico – e certo que, por exemplo, políticos do Brasil, EUA, RÚSSIA, Argentina etc, passando pelos potentados, magnatas e ditadores da África e do Oriente Médio, tenham ou tinham – depositadas na Suíça somas consideráveis. Em caso de reviravoltas políticas, que facilmente podem ocorrer, sabem que podem contar com o depósito de Genebra ou Lausana.

Mas esses depósitos foram efetuados em condições especiais. É evidente de fato que um grande magnata do Petróleo, para dar um exemplo – chefe de governo – pode ser deposto em poucas horas. Terá de fugir e mais depressa possível e talvez sem ter tido tempo para se munir de papeis de identidade. Por outro lado, um depósito regular no Banco – embora a Suíça assegure o segredo mais absoluto a respeito do depósito e do depositante – em nome do político X ou do presidente F, pode arriscar-se, no futuro, a sofrer um embargo, um sequestro de bens por parte de um governo. Torna-se portanto necessário que este depósito não seja nominativo.

Um potentado do Próximo Oriente, o Emir K, descobriu uma solução ao tornar-se diretor de um dos principais bancos de Genebra. Outros utilizam um curioso sistema. Fazem depositar os seus fundos – vários milhares de milhões – por um procurador.

Durante uma viagem a Suíça, combinam um código com o Banco: o dinheiro só pode ser levantado por quem possua “o mot de passe”ou um código combinado por exemplo: X – 75 – FH – 4885, que é parcialmente guardado em quatro sobrescritos selados.

O primeiro contem o primeiro sinal do código, X; o segundo, 75; o terceiro FH; o ultimo, 4885. Em principio, é o suficiente para afastar qualquer tentativa de fraude, pois o depositário não indica o nome nem a direção.

O único risco, que acontece com frequência: se o depositário morre, o tesouro fica sem proprietário. Calcula-se que pelos menos cerca de 2 trilhões em suspenso nos bancos que jamais serão reclamados.


A partir de 1940, os bancos suíços de Berna, de Zurique e de Genebra foram obrigados a quadruplicar a superfície das suas caves. 

Paralelamente, alguns magnatas e principalmente os grandes industriais do Petróleo do Oriente compravam vivendas em território Suíço e mandaram construir abrigos antiatômicos que estão repletos de lingotes de ouro e fechados a cimento, de tal forma que a Suíça se transformou num imenso cofre-forte ou, se preferirmos, um parque com tesouros enterrados.


Ladislau Dowbor: Estamos destruindo o mundo por uma minoria

Por Revista Diálogos do Sul


O professor de economia da Puc-SP (Pontifícia Universidade Católica) Ladislau Dowbor, em entrevista à Revista Diálogos do Sul, debateu os fundamentos da atual crise financeira internacional e as consequências do chamado capital especulativo na vida das pessoas. Em síntese, ressaltou que estamos destruindo o planeta por uma minoria e deixando o grosso da população de fora do sistema. 

“Nós não temos problema econômico, temos um problema de organização social e política”, afirmou.

O mundo produz riqueza suficiente para suprir as necessidades básicas de todo o planeta e exemplifica: se toda a produção do mundo fosse dividida pelos habitantes da Terra, cada família receberia R$ 9 mil por mês, em média.

Mas, ao contrário disso, ressalta, “temos 62 bilionários que têm mais riqueza acumulada do que as 3,6 bilhões de pessoas mais pobres”.



Ele explica que esse processo é possível graças ao sistema especulativo, em que o capital fica parado, gerando lucro apenas via especulação, sem produção e sem pagamento de impostos.


“Temos US$ 30 trilhões em paraísos fiscais – enquanto o PIB mundial é de US$ 72 trilhões – então essa gente não só não investe, como não paga impostos. Temos um capitalismo de dinheiro parado, um capitalismo improdutivo planetário”, afirma o professor. Ele ressalta que esse montante poderia estar sendo investido para resolver nossos problemas enquanto humanidade, mas está enriquecendo uma minoria.


 A proposta de Emenda à Constituição 241 (PEC 241, que impõe o teto dos gastos públicos para os próximos 20 anos) não é, ao contrário do que alguns economistas defendem, “um remédio amargo, porém necessário”.

Isso porque que “os bancos geraram o rombo [das contas públicas]. O que querem fazer [com a PEC 241] é que o andar de baixo tenha que pagar o rombo, mas quando se reduz investimento, você chupa o dinheiro do andar de baixo e vai travar ainda mais a economia”.


O LIVRO DE ENOCH
Capítulo 51

1 - Depois desse tempo, no lugar onde eu havia visto toda visão secreta, fui arrebatado em um redemoinho de vento e transportado para o oeste.


2 - Lá meus olhos viram os segredos do céu e tudo o que existe na terra; uma montanha de fogo, uma montanha de cobre, uma montanha de prata, uma montanha de ouro, uma montanha de metal fundido, e uma montanha de chumbo.


3 - E eu perguntei ao anjo que foi comigo, dizendo: O que são estas coisas, que em segredo eu vi?


4 - Ele disse: Todas as coisas que tu viste serão para o domínio do Messias, para que ele possa comandar e ser poderoso sobre a terra.


5 - E aquele anjo de paz respondeu-me dizendo: Espera um pouco de tempo e entenderás, e cada coisa secreta te será revelada, o que o Senhor dos espíritos tem decretado. Aquelas montanhas que tu viste, a montanha de ferro, a montanha de cobre, a montanha de prata, a montanha de ouro, a montanha de metal fluido e a montanha de chumbo, todas estas na presença do Eleito serão como o favo de mel diante do fogo, e como a água descendo de cima sobre estas montanhas, e se tornarão debilitadas diante de seus pés.


6 - Naqueles dias os homens não serão salvos por ouro e por prata.


7 - Nem eles o terão em seu poder para assegurar-se, e voar.

                    FONTE: Titulo original: LE LIVRE MYSTEIREUX INCONNU, Robert Lafount, 1969 LIVRARIA BERTRAND, S.A.R.L.- Lisboa

Rodrigo Veronezi Garcia é Blogueiro e estuda sobre Mitologia, Religião, História, Arqueologia, Ciências Ocultas, Sociedades Secretas, Segredos Militares, Geo Politica, Parapsicologia, Ufologia.
Rodrigo Veronezi Garcia Rodrigo Veronezi Garcia

Nenhum comentário:

Postar um comentário