sexta-feira, 23 de dezembro de 2016

O MITO SOLAR É COMEMORADO NO DIA 25 DE DEZEMBRO







Em termos astronômicos sabemos que o dia 25 de dezembro assinala o solstício do inverno no hemisfério norte. Sabemos também que Jesus foi concebido no ventre de uma virgem, Maria, em 25 de março, dia em que o arcanjo Gabriel, “no sexto mês, foi enviado por Deus a uma cidade da Galiléia chamada Nazaré” , segundo registros bíblicos. A palavra Deus, nesse caso, vem do termo hebraico Iahweh-Elohim, e Gabriel tem sido reiteradas vezes considerado um alienígena ou uma divindade. A concepção então se deu no equinócio da primavera e, nove meses depois, no solstício do inverno, nascia Cristo. A chave deste código está, precisamente, ma expressão “no sexto mês” , empregada pelo evangelista Lucas. A humanidade, desde seus tempos primitivos, sempre conheceu alguns Mitos que. Em linguagem comum são narrativas fabulosas que podem ser aceitas como exposição cifrada ou simbólica de uma teoria. No segundo caso temos o Mito Solar quando o logos se manifesta no mundo fenomenal e encarna num homem chamado AVATAR, cada vez que as grandes transformações cósmicas, chamadas “Eras”, que afetam desde o movimento dos sóis até a conduta dos homens, fazem necessária a presença de um “Instrutor” ou um “Transformador” que oriente o caminho ou a senda dos homens. Assim vamos falar da presença de um “Instrutor” ou “Transformador” através dos tempos. Uma condição essencial no Mito Solar é a de que o Avatar seja concebido por uma virgem. Jesus foi concebido por Virgem Maria “por obra e graça do Espírito Santo”Porém este fato, como já sabemos, não passa de uma repetição do acontecido com Krishna, muito, muito tempo antes, concebido pela virgem Devaki, que lhe da a luz no estábulo de Nandem, entre os pastores(Krishna, como Jesus deveria morrer para expiar os pecados de sua raça). Igualmente Horus nasce da virgem Ísis pela vontade do Deus Thot; Osires nasce da virgem Neith. Igualmente são tidos como nascidos de virgens Zoroastro, Quetzacoatl, Apolônio e outros. O mito básico da Maçonaria ortodoxa é a lenda de Hiram Abif, simples versão do Mito Solar e uma verdadeira história simbólica da evolução da consciência do Homem. Eis aqui a razão dos trabalhos dos “Filhos da Viúva” Somente quando brilhar o Sol da Verdade não mais serão necessários nem mitos nem lendas.

Rodrigo Veronezi Garcia é Blogueiro e estuda sobre Mitologia, Religião, História, Arqueologia, Ciências Ocultas, Sociedades Secretas, Segredos Militares, Geo Politica, Parapsicologia, Ufologia.
Rodrigo Veronezi Garcia Rodrigo Veronezi Garcia

Nenhum comentário:

Postar um comentário