domingo, 30 de abril de 2017

REVISTA & CONSPIRAÇÃO : QUEM É QUE MANDA NO BRASIL (Trecho da entrevista d...

REVISTA & CONSPIRAÇÃO : QUEM É QUE MANDA NO BRASIL (Trecho da entrevista d...: Trecho da entrevista do presidente da Federação Nacional dos Policiais Federais Francisco Carlos Garisto concedida para a revista Caro...

sábado, 29 de abril de 2017

MAIS DE 35 MILHÕES DE TRABALHADORES PARALISARAM O BRASIL CONTRA A REFORMA TRABALHISTA E CONTRA A REFORMA DA PREVIDÊNCIA





Mais de 35 milhões de trabalhadores cruzaram os braços contra a Reforma Trabalhista e contra a Reforma da Previdência e o Governo golpista além de não ter sido eleito por ninguém ainda se acha no direito de decidir o futuro dos trabalhadores brasileiros sem ouvir o que eles pensam... a maioria destes trabalhadores vai morrer antes de conseguirem se aposentar se for aprovada a Reforma da Previdência.

Vocês da imprensa tem que acordar e ler item por item da Reforma da Previdência porque idade minima de 65 anos, tempo de contribuição e os novos cálculos são mudanças inaceitáveis para todas as categorias de trabalhadores e vocês estão nesta lista e a Reforma Trabalhista não vai gerar empregos só vai facilitar para demitirem e reduzirem o valor das indenizações.

 A maioria dos Deputados que votaram a favor da Reforma Trabalhista são empresários também e defendem os interesses da classe deles sem ouvir a classe trabalhadora o que é um absurdo. parece que são mais de 200 deputados que são donos de empresas ou sócios e outros tem em nome de terceiros e o resto foi eleito com verba para a campanha política de empresários e muitos ruralistas cheios de empregados.


1. Demissões coletivas . Agora os empregadores podem demitir todo mundo da sua empresa e contratar outras pessoas por menores salários e menores benefícios sem nenhuma multa.
2. Trabalho temporário, pra sempre . O patrão vai poder te contratar por hora durante toda a sua vida. Sem garantias. Por exemplo: bares, restaurantes, indústrias poderão te chamar para trabalhar temporariamente quando quiserem e você não terá seu emprego e salário fixos garantidos.
3. Hora-extra . A CLT prevê jornada de trabalho de no máximo 8 horas por dia. Agora, ao invés de pagar horas extras para o trabalhador que ficar mais tempo trabalhando, o empregador vai contratar uma jornada de trabalho maior. Diminui o salário do empregado no final do mês.
4. Meia-hora de almoço . Antes era obrigatório almoço de uma hora. Mas para este governo apenas meia-hora é suficiente.
5. Suas roupas também entraram na reforma . A partir de hoje o patrão vai poder dizer até como você tem que se vestir. Mesmo aqueles uniformes que te exponham ao ridículo estão liberados. E não importa que faça frio ou calor, a roupa é a que os patrões escolherem.
6. Fim do transporte de empregados . As empresas não precisarão mais pagar pelas suas horas de deslocamento. Quem mora mais longe é o mais prejudicado. Vai perder tempo e dinheiro.
7. Mexeram nas suas férias . Agora os patrões podem parcelar livremente suas férias em até 3 vezes, como for melhor pra eles.
8. Se você é terceirizado , preste atenção: a empresa que contratou a terceirização (às vezes é o governo ou outra empresa bem maior) não vai mais ter responsabilidade nenhuma sobre sua indenização se você for demitido. Se você não receber os seus direitos, já era.
9. E se você tem carteira assinada e está há muitos anos na empresa? Saiba que agora a empresa vai poder te demitir e demitir todos os teus colegas para contratar terceirizados, mais baratos pros patrões, sem direitos, sem carteira assinada.
10. A crueldade chega até às grávidas : quem decide aonde as grávidas (e as lactantes) trabalham é o médico da empresa. Ou seja, mesmo que ela esteja em um local insalubre para ela e o bebê, quem decide agora o lugar de trabalho é teu patrão.
E a quem você vai poder reclamar?
11. Não tem mais Comissão de Conciliação Prévia . O que o patrão negociar com você vai valer mais do que a Lei. Vale o que o patrão mandou e a regra que você assinou quando conseguiu o emprego.
12. Rescisão . Não vai ser mais obrigatório o sindicato assinar a tua rescisão. Eles podem agora fazer a rescisão do jeito que eles quiserem. Você ficou não mão dos patrões.
13. Golpe na Justiça do Trabalho . A justiça do trabalho não é mais gratuita. Você vai ter que pagar honorário até do perito. E se não tiver dinheiro, fica sem poder reclamar.



quinta-feira, 27 de abril de 2017

O JUIZ SÉRGIO MORO PODE SER INCONSCIENTEMENTE MAIS UM DOS ASSASSINOS ECONÔMICOS







 
Um calhamaço de papéis e depoimentos sigilosos reunidos por ISTOÉ provam que a CIA continua ativa no Brasil. Os agentes americanos atuam com desembaraço, tomam conhecimento de investigações confidenciais e têm acesso a informações de segurança nacional. A espionagem ianque recebeu as bênçãos governamentais e, comprovadamente, operou no Brasil alojada em um estratégico birô da Polícia Federal brasileira: o Centro de Dados Operacionais (CDO), hoje rebatizado de Serviço de Operações de Inteligência Policial (Soip), que tem bases em Brasília e em outras sete capitais.

A construção da sede do CDO no Distrito Federal foi bancada pelo governo americano, que também paga o aluguel dos demais escritórios. A inusitada boa vontade americana tinha como contrapartida a tolerância às xeretices da CIA no Brasil. Na mais ousada delas, o próprio presidente Fernando Henrique Cardoso foi grampeado. “O equipamento usado para grampear FHC era da CIA”, revela o delegado José Roberto Benedito Pereira, peça-chave na denúncia obtida por ISTOÉ sobre a atuação da agência no Brasil.

Em 1995, o CDO era chefiado pelo delegado Mário José de Oliveira Santos. Lá foi feito o grampo – denunciado por ISTOÉ – que captou conversas entre o presidente FHC e seu assessor direto, o embaixador Júlio César Gomes dos Santos, além de diálogos sobre a licitação internacional do Sistema de Vigilância da Amazônia (Sivam). O bilionário negócio (U$ 1,4 bi) acabou no colo da indústria americana Raytheon. Para grampear Júlio César, o CDO recorreu a um expediente corriqueiro: sua suposta ligação com o narcotráfico.

O embaixador foi flagrado conversando sobre o Sivam. Nada a respeito de drogas. No meio do grampo, algumas inconfidências de FHC. Era com o produto dessas gravações que o delegado Vicente Chelotti contava para se eternizar na direção da PF. Em conversas com amigos, costumava dizer que tinha “o homem na mão”. Chelotti caiu porque, segundo os policiais que trabalharam no caso, os trechos pessoais supostamente envolvendo FHC teriam sido apagados. Coube ao general Alberto Cardoso, chefe da

Agência Brasileira de Informação (Abin), desmascarar o blefe com a ajuda da própria PF. A escaramuça palaciana, entretanto, ocultava interesses bem maiores.

Depois do fim da guerra fria, os órgãos de espionagem dos EUA, para manter o status e justificar os altos orçamentos, começaram a trabalhar também com espionagem comercial, acompanhando acordos internacionais de interesse de empresas americanas. Oswald Le Winter, ex-membro da agência, narra no livro Democracia e secretismo”, publicado este ano em Portugal: “A CIA e a NSA
(Agência Nacional de Segurança) interceptaram chamadas telefônicas entre representantes brasileiros e a empresa francesa Thomson sobre um sistema de radar que os brasileiros queriam adquirir. Uma firma americana, Raytheon, também estava na corrida, e relatórios preparados a partir de interceptações foram canalizados para a Raytheon.” A bisbilhotice da CIA continuou, e sempre “incrustada dentro da
Polícia Federal”, como definiu o delegado Wilson Ribeiro, da Divisão Disciplinar da PF, no relatório de um caso recente.


O diplomata americano Lacy A. Wright Jr envia carta, no dia 6 de maio de 1997, ao chefe da Interpol no Brasil, Washington Melo (à esq.). Wright quer a indicação de um federal para participar de seminário na cidade de Washington. Os americanos se oferecem para pagar as despesas. No último parágrafo, ele revela quem é o contato da CIA no Brasil: “Robert Evans, primeiro-secretário, escritório para assuntos regionais, no fone 3217272, ramal 2026”. Melo indica um dia depois o delegado José Roberto para a viagem aos EUA


No dia 6 de maio de 1997, Lacy A. Wright Jr enviou uma carta ao chefe da Interpol no Brasil, delegado Washington Melo. Wright queria a indicação de um policial federal para participar de seminário sobre entorpecentes entre os dias 12 e 14 de maio nos EUA. O convite mostra que os americanos pagam a conta e, por isso, tratam os delegados brasileiros como subordinados: “A tarifa da viagem aérea (classe econômica) será paga pelo governo dos Estados Unidos, e o atendente receberá a diária padrão do governo americano para cobrir as despesas com alimentação e hospedagem durante o seminário (a diária atual para área de Washington é de U$ 124 por noite para hospedagens e U$ 42 para refeições e despesas diversas).”

A face da CIA em terras brasileiras com nome, sobrenome e telefone é revelada no final da carta: “Para obtenção de detalhes adicionais, ou no caso de Vossa Senhoria ter algumas perguntas, favor contate o sr. Robert Evans, primeiro-secretário, Escritório para Assuntos Regionais.” Melo indica um dia depois o delegado José Roberto Benedito Pereira, tira do alto escalão, que foi chefe de gabinete de Chelotti. 

A carta de Mr. Wright era uma simulação. Não tinha seminário algum. O próprio José Roberto, em um relatório confidencial obtido por ISTOÉ, conta que a farsa serviu para submeter federais brasileiros ao teste do polígrafo – o detector de mentiras, cuja aplicação no Brasil é ilegal, assim como as diárias pagas pelos EUA. José Roberto escreve: “Consoante determinação recebida no sentido de me submeter ao polígrafo, apresentei-me para a sessão às 12 horas do dia 12.05 p.p. (mesmo dia do suposto seminário) no Hotel Hyatt Dulles, próximo ao Aeroporto Internacional de Washington em companhia do Sr. Robert Evans, agente da CIA, vinculado à Embaixada Americana no Brasil”. José Roberto revela qual a verdadeira função de Robert Evans: espião da CIA, cujo cargo de primeiro-secretário não passava de uma camuflagem para encobrir os inconfessáveis interesses da CIA no Brasil. Durante o teste na máquina de mentiras, o delegado, um especialista em interrogatórios, respondeu a perguntas do tipo se “aceitaria subornos em sua atividade”.

O relatório dele deixa claro que a CIA usava o vestibular do polígrafo para selecionar os colaboradores em suas empreitadas tropicais. “Como reagiria a opinião pública se tomasse conhecimento de tamanha ingerência em assuntos de segurança interna?”, questiona José Roberto. As indagações estão até hoje sem resposta. Procurado por ISTOÉ e confrontado com os papéis e suas assinaturas, o policial confirmou que redigiu e entregou o documento ao chefe da Interpol. Outros delegados da elite da PF, além de reprovarem o uso do polígrafo, acusam a CIA de tentar cooptar policiais brasileiros. “A convivência com os americanos era comum pelos corredores da Interpol. Eles tomavam conhecimento de tudo o que acontecia por aqui”, conta Luiz Zubcov, outro delegado que se rebelou contra a ingerência da CIA.


As acusações de José Roberto e Zubcov viraram sindicância interna de número 1414/97 na Corregedoria Geral da PF, chefiada pelo delegado Arthur Lobo Filho. Zubcov diz que “desconhecia base legal para o acordo” e confirma que a CIA se portava como dona do Soip. O despacho
foi encaminhado ao diretor geral da PF, Vicente Chelotti (ao lado), que, por
escrito, manda tomar providências


O detector de mentiras, cuja aplicação no Brasil é ilegal, como também as diárias pagas pelo governo dos EUAJosé Roberto, em um relatório confidencial obtido por ISTOÉ, conta que a ida aos EUA era uma farsa para submeter federais brasileiros ao teste do polígrafo –


Crise amarga – Em 18 de novembro de 1997, Zubcov, a pedido de seu chefe na Interpol, Washington Melo, reuniu 40 federais envolvidos no programa custeado pela CIA, entre eles José Roberto. Zubcov comunicou que o diretor-geral, Vicente Chelotti, estava tirando o programa com a CIA da Interpol. O que seria uma reunião para anunciar mudanças burocráticas foi o estopim da crise mais amarga experimentada pela PF. No encontro, José Roberto e Zubcov explicitaram suas críticas ao programa da CIA. No dia seguinte, uma denúncia, assinada por 13 dos policiais presentes à reunião, caiu como uma bomba na mesa de Chelotti. Em um relato da reunião, os policiais atribuíram a Zubcov a insinuação de que a “CIA se valia do programa de cooperação com a PF para manter sua base de coleta de informações no Brasil”. O delegado Zubcov também teria criticado a subserviência dos agentes do programa ao dizer que “não se venderia por cents”. 

As acusações viraram a sindicância 1414/97 na Corregedoria da PF, chefiada à época pelo delegado Arthur Lobo Filho. Chamados a esclarecer, os dois delegados fizeram denúncias ainda mais sérias. Todas por escrito. Zubcov afirmou que “desconhecia base legal para o acordo” e confirmou que a CIA se portava como dona do pedaço: “Esse acordo, apoiado no binômio capital x trabalho, por serem os EUA o suporte financeiro, não lhe dava o direito de interferir na seleção de pessoal e gerência das atividades.” O mesmo Zubcov ironizou: “Que estranho fascínio o programa exerce sobre seus selecionados, a ponto de comungarem dos mesmos sentimentos como verdadeiros devotos?”. José Roberto atacou a vocação imperialista dos americanos: “Só quem conviveu com a ingerência, insolência e atrevimento dos agentes da CIA entende o estado de espírito de um funcionário probo.”

Propinas verdes – Depois de afirmar que “vivenciou a tentativa de cooptação”, José Roberto faz uma grave revelação. Nem todos os “devotos” resistiram ao assédio verde: “O agente federal Maurício de Souza Pinheiro teve o descaramento de, em seu pronunciamento, dizer que recebia de salário US$ 600: ‘Foram os americanos que me pagaram gratificações que me permitiram viver com dignidade, e me deram cursos quando o DPF nunca me deu nada’”, relata José Roberto textualmente.

Tudo isso se tornou oficial. O chefe da divisão disciplinar da PF, delegado Wilson Ribeiro, alertou em dois ofícios que a sindicância sobre as relações espúrias CIA-PF “toleradas pela Administração” poderiam criar “embaraços”: “Como o Ilmo. Sr. diretor-geral do DPF deve ter pleno conhecimento do que se passa no órgão que dirige, certamente conhecia essa circunstância noticiada pelo Dr. Zubcov e, se não adotou as medidas esperadas, é porque, certamente, não convinha à Administração”, conclui Wilson Ribeiro se referindo a Vicente Chelotti. Quando, em 20 de maio de 1999, depôs na CPI do Narcotráfico, Chelotti qualificou a presença da CIA em território brasileiro como “loucura” e “absurdo”. Não é bem assim. ISTOÉ teve acesso a vários despachos assinados por Chelotti ao longo de 1998 na sindicância que investigava
a presença da CIA no Brasil. Mesmo com tanta nitroglicerina, a sindicância não teve nenhum resultado.


ARMAÇÃO: Júlio César dos Santos (à esq.), assessor de FHC, teve seu telefone grampeado a pedido do delegado Mário Santos, que solicitou autorização judicial para investigar o narcotráfico.






A operação do Juiz Sérgio Moro permitiu recuperar até o momento 1 bilhão de euros (cerca de R$ 4,2 bilhões) mas os impactos diretos e retiraram mais R$ 142,6 bilhões da economia brasileira levando a falência milhares de empresas e deixando milhões de brasileiros desempregados o equivalente a uma retração de 2,5% do PIB que ótimo negocio para a economia das nações concorrentes.

A Petrobras, que reduziu em 37% o volume de investimentos previstos entre 2015 e 2019,

A redução dos investimentos da Petrobras e do setor de construção de obras públicas, contabilizando as perdas no valor bruto da produção, nos empregos, nos salários e na geração de impostos.


O grosso das demissões ainda não ocorreu teremos mais de 2 milhões de empregos a menos no país.

A forma pela qual a Lava Jato vem sendo tocada, com excesso de publicidade e pouco critério na divulgação das delações, aumenta desnecessariamente o custo sobre emprego e produção"

O resultado desastroso das ações de Moro vai levar o Brasil vai ter á a terceira maior população de desempregados entre as maiores economias do mundo.


Estou fazendo um trabalho baseado no que venho observando e depois eu vou criar um tópico enumerando todos os aspectos que provam que este Juiz esta trabalhando para o Governo dos EUA e atacando setores estratégicos da nossa Economia e Soberania e ligando tudo que esta acontecendo ao projeto do Submarino Nuclear brasileiro a Base de Alcântara o Projeto do Foguete lançador de Satélites, a entrega das reservas do Pré Sal, do Nióbio e do Aquífero Guarani.

Vocês vão me perguntar e os Políticos que foram delatados pela Odebrecht? Eu vou responder falando a verdade porque não vão condenar José Sarney, Collor e Fernando Henrique Cardoso porque já prescreveram as denúncias e inquéritos contra eles... e não vão condenar José Serra, Aécio Neves e Geraldo Alckmin ou por falta de provas ou porque vão prescrever os processos contra eles e se condenarem Lula vai ser um Julgamento político porque ele defende a classe trabalhadora e os Sindicatos que estão na mira de todo este Golpe.

DELAÇÃO PREMIADA NÃO É PROVA E NÃO VALE NADA PARA O FIM DA CONDENAÇÃO

Isoladamente a delação premiada não constitui prova suficiente para a condenação do réu. Isso é texto expresso da lei 12.850/13, art. 4º, § 16, que diz: “Nenhuma sentença condenatória será proferida com fundamento apenas nas declarações de agente colaborador”.

A delação premiada, como se vê, por força da lei, é prova, porém, meramente indiciária, porque se não corroborada por outras provas seguras (que estejam além da dúvida razoável), não vale nada para o fim da condenação (nem sequer do próprio réu, que para colaborar deve confessar participação no delito). Essa é a regra da corroboração.

O Procurador da Lava Jato tem uma interpretação estranha da história e acha que foi a colonização portuguesa quem legou a corrupção à terra natal. Quem veio de Portugal para o Brasil foram degredados, criminosos e quem foi para os Estados Unidos foram pessoas religiosas, cristãs.
Vamos imaginar que os Procuradores fizessem uma Operação semelhante a Lava Jato nos EUA e não respeitassem o direito de defesa dos acusados e a própria Constituição grampeando o telefone do Presidente da República e entregando as gravações para a Imprensa... imaginem eles interrogando os empresários empreiteiros e executivos de Wall Street obrigando eles a delatarem os Senadores e ex Presidentes em troca de sua liberdade... com certeza absoluta ele teriam que condenar políticos Democratas e Republicanos e os últimos 5 ex Presidentes dos EUA...

John Shulman, que estudou direito em Harvard um especialista e fala que há empresas nos EUA muito mais corruptas do que no Brasil, podem ter certeza"

Em entrevista concedida em um programa da rede CBS ano passado o Presidente Trump colocou o Brasil ao lado de China, Japão e Índia entre os países que supostamente estariam “roubando” postos de trabalho de norte-americanos. Para ele, trazer de volta esses empregos seria uma das medidas para fazer dos Estados Unidos um país “forte novamente”.

“Olhem a quantidade de desperdício, fraudes e abusos que temos, é incrível. Vou trazer de volta postos de trabalho da China, do Japão, da Índia, do Brasil”, afirmou.
Operations Research ,Technical manual TM-SW7905.1

Este manual é por si, uma declaração de intenção análoga. A presente publicação deve manter-se distante de toda a opinião pública . Do contrário, poderia ser interpretado como uma declaração formal e técnica de guerra interior.

Em 1954, esse foi o tema de preocupação principal. Conquanto foram relevadas questões morais, desde o ponto de vista da lei da seleção natural, foi admitido que uma nação ou que uma população mundial quem não utilizaria a sua inteligência não seria melhor do que animais que não têm inteligência. Tais pessoas são animais domesticados por eleição (deles mesmos) e consentimento.
Eu trabalho na especulação e assim adquiro conhecimento, separei aqui para vocês leitores dois escândalos internacionais envolvendo políticos da oposição golpista do Brasil, que é controlada e financiada por banqueiros e industriários internacionais, e, eles estão de olho nas riquezas do subsolo brasileiro mais precisamente nas reservas do Pré- Sal e nas reservas de Água e Nióbio que valem trilhões de dólares..

Os fascistas entenderam isto, e todos perceberam que os ''banqueiros'' que os mantiveram na Segunda Guerra Mundial é que tinham o poder REAL. Eles compreenderam que o poder econômico é quem dita o poder político como fez a Odebrecht no Brasil, mesmo num país supostamente democrático onde este poder financeiro pode comprar o poder político daqueles que estão muito mais interessados nos confortos físicos imediatos e no status econômico do que no destino a longo prazo de seu país.
Os fascistas não poderiam ter feito o que fizeram sem a ajuda destes traidores ''internos''

Eu analisei tudo que se passou e todos os possíveis candidatos as eleições de 2018 foram delatados pela Odebrecht e todos estão na lista de Fachin para serem investigados e não escapou ninguém dos principais presidenciáveis o Senador Aécio Neves PSDB o campeão nas delações, Governador Geraldo Alckmin foi delatado, o Senador José Serra foi delatado, a Cúpula do PMDB foi toda delatada também inclusive o articulador do Golpe de Estado Romero Jucá e seu comparsa Eduardo Cunha que já esta na prisão...

Segundo especialistas consultados o destino dos recursos espalhados por centenas de contas que, segundo o governo suíço, são ligadas a empresários e políticos brasileiros, depende da comprovação de sua origem e da conclusão das ações criminais contra eles mas os depósitos que foram efetuados em condições especiais? no futuro, a sofrer um embargo, um seqüestro de bens por parte de um Governo. Torna-se portanto necessário que este depósito não seja nominativo.

Durante uma viagem a Suíça, combinam um código com o Banco: o dinheiro só pode ser levantado por quem possua “o mot de passe”ou um código combinado por exemplo: X – 75 – FH – 4885, que é parcialmente guardado em quatro sobrescritos selados.

O primeiro contem o primeiro sinal do código, X; o segundo, 75; o terceiro FH; o ultimo, 4885. Em principio, é o suficiente para afastar qualquer tentativa de fraude, pois o depositário não indica o nome nem a direção.

O único risco, que acontece com freqüência: se o depositário morre, o tesouro fica sem proprietário. Calcula-se que pelos menos cerca de 800 bilhões em suspenso nos bancos que jamais serão reclamados. Este cálculo aproximado é de 1963, imaginem hoje quanto dever ter!!!!
Se alguns Ministros avaliam que STF não tem estrutura para lidar com os inquéritos da Odebrecht então amigos existe um risco de prescrição de boa parte dos casos o que vai significar o arquivamento de processos antes mesmo de serem julgados e estas regras de prescrição estão expressas no Código Penal o que significa que o dinheiro que foi enviado para Suíça por políticos corruptos e empresários nunca mais vai voltar para o Brasil.

Como diz o artigo do Professor Michel Chossudovsky o controle sobre a política monetária brasileira e a reforma macroeconômica eram os objetivos últimos do golpe de Estado. As nomeações principais do ponto de vista de Wall Street são o Banco Central, que domina a política monetária e as operações de câmbio, o Ministério da Fazenda e o Banco do Brasil”.

“Em nome de Wall Street e do ‘consenso de Washington’, o ‘governo’ interino pós-golpe de Michel Temer nomeou um ex-CEO de Wall Street (com cidadania dos EUA) para dirigir o Ministério da Fazenda”, diz o artigo, referindo-se a Henrique Meirelles, nomeado em 12 de maio.
Meirelles, que tem dupla cidadania Brasil-EUA, serviu como presidente do FleetBoston Financial (fusão do BankBoston Corp. com o Fleet Financial Group) entre 1999 e 2002 e foi presidente do Banco Central sob o governo Lula, entre 1º de janeiro de 2003 e 1º de janeiro de 2011. Antes disso, o atual ministro da Fazenda, que volta ao poder sob o governo Temer após ter sido dispensado por Dilma em 2010, também atuou por 12 anos como presidente do BankBoston nos EUA. Já o atual presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn, nomeado por Temer em 16 de maio, tem dupla cidadania Brasil-Israel e foi economista-chefe do Itaú, maior banco privado do Brasil. Segundo o artigo, Goldfajn “tem laços estreitos tanto com o FMI [Fundo Monetário Internacional] quanto com o Banco Mundial”.

“Goldfajn já havia trabalhado no Banco Central sob Armínio Fraga, bem como sob Henrique Meirelles. Ele tem estreitos laços pessoais com o prof. Stanley Fischer, atualmente vice-presidente do Federal Reserve dos EUA [além de ex-vice-diretor do FMI e ex-presidente do Banco Central de Israel]. Desnecessário dizer que a nomeação de Golfajn ao Banco Central foi aprovada pelo FMI, pelo Tesouro dos EUA, por Wall Street e pelo Federal Reserve dos EUA”, afirma o artigo.
Fraga, por sua vez, atuou como presidente do Banco Central entre 4 de março de 1999 e 1º de janeiro de 2003. Ele foi diretor de fundos de cobertura (hedge funds) por seis anos na Soros Fund Management (associada ao magnata George Soros), e também tem dupla cidadania Brasil-EUA.
“O sistema monetário do Brasil sob o real é fortemente dolarizado. Operações da dívida interna são conducentes a uma dívida externa crescente. Wall Street tem o objetivo de manter o Brasil em uma camisa de força monetária”, explica o professor canadense.
Por isso, afirma o artigo, quando Dilma Rousseff aponta um nome não aprovado por Wall Street para a presidência do Banco Central, a saber, Alexandre Antônio Tombini, cidadão brasileiro e funcionário de carreira no Ministério da Fazenda, é compreensível que os interesses financeiros externos se articulem aos interesses das elites brasileiras para mudar o quadro político no país.
Como aconteceu em 1964 não importando o que os EUA fizessem, a situação do Brasil devia deteriorar-se.

A IMPRENSA BRASILEIRA TEM QUE ACORDAR E LER TODOS OS ITENS DAS REFORMAS DA PREVIDÊNCIA E TRABALHISTA E FICAR DO LADO DO POVO BRASILEIRO


Todos trabalhadores devem ler item por item das mudanças que estão nesta Reforma Trabalhista e eu duvido que algum "trabalhador" interprete diferente e não chegue a conclusão que a Reforma não vai gerar mais empregos e sim vai facilitar as demissões, precarizar os empregos que já existem, e diminuir os valor das indenizações trabalhistas... agora os empresários é normal terem um olhar ou uma interpretação diferente que os impede de admitir isto.




Vocês da imprensa tem que acordar e ler item por item da Reforma da Previdência porque idade minima de 65 anos, tempo de contribuição e os novos cálculos são mudanças inaceitáveis para todas as categorias de trabalhadores e vocês estão nesta lista e a Reforma Trabalhista não vai gerar empregos só vai facilitar para demitirem e reduzirem o valor das indenizações.

 A maioria dos Deputados que votaram a favor da Reforma Trabalhista são empresários também e defendem os interesses da classe deles sem ouvir a classe trabalhadora o que é um absurdo. parece que são mais de 200 deputados que são donos de empresas ou sócios e outros tem em nome de terceiros e o resto foi eleito com verba para a campanha política de empresários e muitos ruralistas cheios de empregados.



Não vamos pagar uma dívida de R$ 426 bilhões que as Empresas privadas além de Estados e Municípios devem a Previdência Social segundo as informações da Procuradoria Geral da Fazenda Nacional que é responsável por cobrar estas dívidas e o valor é quase o triplo do suposto e provavelmente falso deficit no INSS de 2016, que foi de cerca de R$ 149 bilhões.
Essa dívida vem sendo formada desde a década de 1960 e que alguns casos envolvem fraudes.
Entre os maiores devedores da Previdência, há empresas que já fecharam, como as antigas companhias aéreas Varig e Vasp e a TV Manchete. Somente essas empresas devem ao INSS cerca de R$ 5,5 bilhões.
Grandes empresas também constam entre os devedores e também Governos de Estado de todas regiões do país e prefeituras de várias cidades também devem centenas de milhões de reais para a Previdência.

Deputados donos de Radio e TVS

Deputados Federais
1. Adalberto Cavalcanti Rodrigues, PTB-PE
2. Afonso Antunes da Motta, PDT-RS
3. Aníbal Ferreira Gomes, PMDB-CE
4. Antônio Carlos Martins de Bulhões, PRB-SP
5. Átila Freitas Lira, PSB-PI
6. Bonifácio José Tamm de Andrada, PSDB-MG
7. Carlos Victor Guterres Mendes, PMB-MA
8. César Hanna Halum, PRB-TO
9. Damião Feliciano da Silva, PDT-PB
10. Dâmina de Carvalho Pereira, PMN-MG
11. Domingos Gomes de Aguiar Neto, PMB-CE
12. Elcione Therezinha Zahluth Barbalho, PMDB-PA
13. Fábio Salustino Mesquita de Faria, PSD-RN
14. Felipe Catalão Maia, DEM-RN
15. Felix de Almeida Mendonça Júnior, PDT-BA
16. Jaime Martins Filho, PSD-MG
17. João Henrique Holanda Caldas, PSB-AL
18. João Rodrigues, PSD-SC
19. Jorginho dos Santos Mello, PR-SC
20. José Alves Rocha, PR-BA
21. José Nunes Soares, PSD-BA
22. José Sarney Filho, PV-MA
23. Júlio César de Carvalho Lima, PSD-PI
24. Luiz Felipe Baleia Tenuto Rossi, PMDB-SP
25. Luiz Gionilson Pinheiro Borges, PMDB – AP
26. Luiz Gonzaga Patriota, PSB-PE
27. Magda Mofatto Hon, PR-GO
28. Paulo Roberto Gomes Mansur, PRB-SP
29. Ricardo José Magalhães Barros, PP-PR
30. Rodrigo Batista de Castro, PSDB-MG
31. Rubens Bueno, PPS-PR
32. Soraya Alencar dos Santos, PMDB-RJ
Senadores
33. Acir Marcos Gurgacz, PDT-RO
34. Aécio Neves da Cunha, PSDB-MG
35. Edison Lobão, PMDB-MA
36. Fernando Affonso Collor de Mello, PTB-AL
37. Jader Fontenelle Barbalho, PMDB-PA
38. José Agripino Maia, DEM-RN
39. Roberto Coelho Rocha, PSB-MA
40. Tasso Ribeiro Jereissati, PSDB-CE



LEIAM ISTO QUE A SENADORA GLEISI POSTOU NO FACEBOOK É A VERDADE QUE ELES NÃO QUEREM QUE VOCÊ SAIBA

1. Demissões coletivas . Agora os empregadores podem demitir todo mundo da sua empresa e contratar outras pessoas por menores salários e menores benefícios sem nenhuma multa.
2. Trabalho temporário, pra sempre . O patrão vai poder te contratar por hora durante toda a sua vida. Sem garantias. Por exemplo: bares, restaurantes, indústrias poderão te chamar para trabalhar temporariamente quando quiserem e você não terá seu emprego e salário fixos garantidos.
3. Hora-extra . A CLT prevê jornada de trabalho de no máximo 8 horas por dia. Agora, ao invés de pagar horas extras para o trabalhador que ficar mais tempo trabalhando, o empregador vai contratar uma jornada de trabalho maior. Diminui o salário do empregado no final do mês.
4. Meia-hora de almoço . Antes era obrigatório almoço de uma hora. Mas para este governo apenas meia-hora é suficiente.
5. Suas roupas também entraram na reforma . A partir de hoje o patrão vai poder dizer até como você tem que se vestir. Mesmo aqueles uniformes que te exponham ao ridículo estão liberados. E não importa que faça frio ou calor, a roupa é a que os patrões escolherem.
6. Fim do transporte de empregados . As empresas não precisarão mais pagar pelas suas horas de deslocamento. Quem mora mais longe é o mais prejudicado. Vai perder tempo e dinheiro.
7. Mexeram nas suas férias . Agora os patrões podem parcelar livremente suas férias em até 3 vezes, como for melhor pra eles.
8. Se você é terceirizado , preste atenção: a empresa que contratou a terceirização (às vezes é o governo ou outra empresa bem maior) não vai mais ter responsabilidade nenhuma sobre sua indenização se você for demitido. Se você não receber os seus direitos, já era.
9. E se você tem carteira assinada e está há muitos anos na empresa? Saiba que agora a empresa vai poder te demitir e demitir todos os teus colegas para contratar terceirizados, mais baratos pros patrões, sem direitos, sem carteira assinada.
10. A crueldade chega até às grávidas : quem decide aonde as grávidas (e as lactantes) trabalham é o médico da empresa. Ou seja, mesmo que ela esteja em um local insalubre para ela e o bebê, quem decide agora o lugar de trabalho é teu patrão.
E a quem você vai poder reclamar?
11. Não tem mais Comissão de Conciliação Prévia . O que o patrão negociar com você vai valer mais do que a Lei. Vale o que o patrão mandou e a regra que você assinou quando conseguiu o emprego.
12. Rescisão . Não vai ser mais obrigatório o sindicato assinar a tua rescisão. Eles podem agora fazer a rescisão do jeito que eles quiserem. Você ficou não mão dos patrões.
13. Golpe na Justiça do Trabalho . A justiça do trabalho não é mais gratuita. Você vai ter que pagar honorário até do perito. E se não tiver dinheiro, fica sem poder reclamar.


quarta-feira, 26 de abril de 2017

TODOS OS TRABALHADORES DO BRASIL DEVEM APOIAR A GREVE GERAL AQUI ESTÃO OS MOTIVOS







Não vamos pagar uma dívida de R$ 426 bilhões que as Empresas privadas além de Estados e Municípios devem a Previdência Social segundo as informações da Procuradoria Geral da Fazenda Nacional que é responsável por cobrar estas dívidas e o valor é quase o triplo do suposto e provavelmente falso deficit no INSS de 2016, que foi de cerca de R$ 149 bilhões.
Essa dívida vem sendo formada desde a década de 1960 e que alguns casos envolvem fraudes.
Entre os maiores devedores da Previdência, há empresas que já fecharam, como as antigas companhias aéreas Varig e Vasp e a TV Manchete. Somente essas empresas devem ao INSS cerca de R$ 5,5 bilhões.
Grandes empresas também constam entre os devedores e também Governos de Estado de todas regiões do país e prefeituras de várias cidades também devem centenas de milhões de reais para a Previdência.
Como consequência previsível do Golpe de 2016, como no de 1964, os usurpadores se apressaram em suprimir Direitos Sociais para ampliar a exploração dos trabalhadores e com isso ampliar as já obscenas taxas de lucro existentes no Brasil.
A primeira medida foi "congelar os gastos sociais" por vinte anos. Os empresários se viram em condições políticas de se negar a "pagar o pato", a destinar parte de seus lucros (pagando impostos) para assegurar o Direito à Educação e à Saúde a quem vive do trabalho prestado, sob remuneração, à classe dominante.
Em seguida, os empresários se voltaram contra o Direito do Trabalho, para diminuir o valor das remunerações, aumentando as "margens de lucro" e, ao mesmo tempo, descumprem a promessa de "assegurar uma velhice digna" a quem foi explorado por décadas. De maneira apressada, no Brasil depois do Golpe, a Direita e os empresários tentam empurrar goela abaixo a Reforma Trabalhista e a Reforma Previdenciária.
A maioria dos Deputados que votaram a Favor da Reforma Trabalhista são empresários também e defendem os interesses da classe deles sem ouvir a classe trabalhadora o que é um absurdo.e eles são representantes da classe empresarial e também são donos de empresas e não tem nenhuma lei que os proíba de serem políticos e de votar leis que os beneficiem em detrimento da classe trabalhadora. Parece que são mais de 200 deputados que são donos de empresas ou sócios e outros tem em nome de terceiros e o resto foi eleito com verba para a campanha política de empresários e muitos ruralistas cheios de empregados.

AS REVELAÇÕES DE UM EX AGENTE DA CIA JONH PERKINS "CONFISSÕES DE UM ASSASSINO ECONÔMICO"





Ex-agente da CIA e autor do livro "Confissões de um Assassino Econômico", fala de como funciona a tática de guerra econômica usada para subjugar nações.
“Confissões de um assassino econômico” (Confessions of an Economic Hit Man)
"A sutileza da construção desse império moderno faria os centuriões romanos, os conquistadores espanhóis e as forças colonizadoras européias dos séculos XVII e XIX se envergonharem. Nós, os Assassinos Econômicos, somos astutos; aprendemos com a história. Hoje nós não usamos espadas. Não envergamos armaduras ou roupas especiais para nos proteger. Em países como o Equador, a Nigéria e a Indonésia, nós nos vestimos como professores e donos de lojas. Em Washington e Paris, parecemos burocratas do governo e banqueiros. Parecemos humildes, normais. Visitamos os locais do projeto e passeamos pelas aldeias empobrecidas. Professamos o altruísmo, falamos oficialmente sobre as maravilhosas coisas humanitárias que estamos fazendo. Cobrimos as mesas de conferências das comissões dos governos com as nossas planilhas eletrônicas e projeções financeiras, e proferimos palestras na Harvard Business School sobre os milagres da macroeconomia. Somos conhecidos, acessíveis. Ou nos apresentamos como tais e somos aceitos. É assim que o sistema funciona. Raramente recorremos a alguma coisa ilegal porque o próprio sistema é construído sobre subterfúgios, e o sistema por definição é legítimo."
Perkins descreve com minúcias a estratégia dos Assassinos Econômicos, baseada no exagero do potencial de retorno econômico dos investimentos. Embora seus projetos sempre fossem descritos como humanitários, os objetivos reais eram obter contratos lucrativos para as firmas multinacionais de construção e atrair os países a contrair empréstimos que eles nunca conseguiriam pagar. Ele sabia que alguns políticos e famílias bem conectadas dentro desses países se tornariam muito ricos enquanto o padrão de vida da maior parte da população declinaria. Quando o pagamento dos empréstimos se tornava impossível, as agências de empréstimos e as grandes empresas então agiam para tomar o controle dos recursos e do governo do país, o que também era parte do plano.
"O aspecto velado de cada um desses projetos era que eles pretendiam criar grandes lucros para os contratantes, e fazer a felicidade de um punhado de famílias ricas e influentes nos países recebedores, enquanto assegurava a dependência financeira a longo prazo e, portanto, a lealdade política de governos ao redor do mundo. Quanto maior o empréstimo, melhor. O fato de que a carga da dívida colocada sobre um país privaria os seus cidadãos mais pobres da saúde, educação e de outros serviços sociais por décadas no futuro não era levado em consideração."
John Perkins trabalhou como economista-chefe da empresa Chas. T. Main, em Boston, entre 1971 a 1981. É considerado um especialista internacional no que se convencionou chamar de “macroeconomia”. Em entrevista ao programa “Democracy Now” (veja AQUI o vídeo), declarou acerca de seu livro: “Por várias fui convencido a deixar de escrever este livro. Recomecei-o mais de quatro vezes durante vinte anos. Em todas as ocasiões, a minha decisão de voltar a começar foi influenciada pelos acontecimentos mundiais da época; a invasão do Panamá em 1980, a primeira guerra do Golfo, a Somália e a revolta de Osama Bin Laden. No entanto, as ameaças ou os subornos acabaram sempre por me convencer a parar”.
Os relatos de Perkins nos levam a eventos históricos dos últimos 60 anos como a deposição do dirigente constitucional eleito democraticamente do Irã (e substituído pelo Xá Reza Pahlevi), Mohammed Mossadegh, na década de 50; o acordo político-econômico que garantiu a aliança entre Estados Unidos e Arábia Saudita; e as misteriosas mortes (ambas em acidentes aeronáuticos em 1981) dos presidentes do Equador - Jaime Roldós Aguilera – e do Panamá - Omar Torrijos – em um momento em que ambos representavam sérias ameaças aos interesses estadunidenses na América Central.
"Entretanto — e esse é um grande empecilho — se falharmos, uns tipos ainda mais sinistros entram em ação, os quais nós, os Assassinos Econômicos, chamamos de chacais, homens cuja linhagem remonta diretamente aos impérios primitivos. Os chacais estão sempre presentes, espreitando nas sombras. Quando eles aparecem, os chefes de Estado são derrubados ou mortos em violentos 'acidentes'. Se por acaso os chacais falham, como falharam no Afeganistão e no Iraque, então os antigos modelos ressurgem. Quando os chacais falham, jovens americanos são enviados para matar e morrer."
Trata-se de um livro, repito, chocante, dada a clareza com que são explicitados os meandros nos quais a cobiça e a sede de poder traçam rumos a um único objetivo: dinheiro. Perkins esteve no olho deste furacão e observa a cavaleiro suas conseqüências ainda hoje – em especial nos milionários contratos firmados por empresas estadunidenses (e aliadas) para a reconstrução do Iraque. O mesmo país que destruiu a infra-estrutura iraquiana lucra agora em sua reconstrução. Este fato é uma das muitas conseqüências da política exposta em “Confissões de um assassino econômico”.


AUDITORIA PROVOU QUE O EX PRESIDENTE LULA NÃO COMETEU ATOS ILÍCITOS NA PETROBRAS





“PricewaterhouseCoopers Auditores Independentes, vem pro meio desta, em resposta ao ofício acima mencionado, recebido no dia 24 de março de 2017, no qual V. Exa. solicita, para fins de instrução da ação pena, que seja informado a esse juízo se, durante realização de auditoria na Petroleo Brasileiro S/A, Petrobras, foi identificado algum ato de corrupção ou ato ilítico com a participação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, com, se positivo, o envio de cópia, informar que, no período em que atuamos como auditores independentes da companhia (exercícios sociais de 2012 a 2016), não foram identificados e nem trazidos ao nosso conhecimento atos de corrupção ou atos ilícitos com a participação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva”


Lawfare em português, 'guerra jurídica'), é o emprego de manobras jurídico-legais como substituto de força armada, visando alcançar determinados objetivos de política externa ou de segurança nacional e tem a finalidade de causar danos a um adversário político de modo que este não possa perseguir objetivos, tais como concorrer a uma função pública no caso do Brasil esta sendo aplicada contra o Ex Presidente Lula por setores da mídia e da Justiça partidarizados com seus adversários políticos e como objetivo as eleições de 2018 Lawfare são basicamente instrumentos jurídicos para fins de perseguição política, destruição de imagem pública e inabilitação de um adversário político.

Manipulação do sistema legal, com aparência de legalidade, para fins políticos.

Abuso do direito para danificar e deslegitimar um adversário;

Promoção de ações judiciais para descredibilizar o oponente.

Tentativa de influenciar opinião pública: utilização da lei para obter publicidade negativa.

Judicialização da política: a lei como instrumento para conectar meios e fins políticos.

Promoção de desilusão popular.

Existe uma perseguição Judicial de setores partidarizados da Justiça foi o que um especialista de Havard disse e eu concordo com ele e se existe uma corregedoria para Procuradores e Juizes eles tem a obrigação de apurar quais Delegados Juizes e Promotores são partidarizados e porque eles foram escolhidos para investigar um adversário político deles o nosso Ex Presidente Lula que é vítima de perseguição judicial e da grande mídia que também o considera um adversário político porque esta mídia também esta partidarizada e por isto não tem ética e é sempre parcial.

De acordo com o advogado, a estratégia, batizada internacionalmente como "lawfare", uma espécie de "arma de guerra", em que é eleito um inimigo e a lei passa a ser usada ou manipulada contra aquele definido como tal. prevê, entre outras práticas, a "manipulação do sistema legal", a "promoção da desilusão popular" e a "acusação das ações dos inimigos como imorais e ilegais"-- técnicas que, segundo Zanin, estariam sendo empregadas contra Lula e a família.


AS PROVAS DE QUE O TRIPLEX NÃO É PROPRIEDADE DE LULA "VEJAM O REGISTRO DO IMÓVEL"



A campanha publicitária contra Lula por parte da Rede Globo e de outras agências de comunicação incluindo alguns Jornais e Revistas é uma vergonha repleta de mentiras e todos brasileiros estão assistindo isto diariamente e, eu tenho muitas dúvidas e peguntas sobre isto... estão com medo do Lula e das eleições de 2018 que inevitavelmente ele vai vencer? porque estão desesperados tentando aprovar a Reforma da Previdência? Governos Estaduais e municipais além de empresas privadas devem mais de 460 bilhões para a Previdência Social e devem estar pressionando parlamentares... isto é uma vergonha... porque querem aprovar a Reforma Trabalhista se sabem que isto numa época de crise não vai gerar empregos e só vai facilitar mais demissões... o Brasil esta desgovernado esta é a minha opinião.

A PEDIDO DA POLICIA FEDERAL O JUIZ SÉRGIO MORO PEDIU O ADIAMENTO DO DEPOIMENTO DE LULA

A estratégia da PF em pedir o adiamento do depoimento de Lula é a seguinte... "eles pretendem usar a tortura psicológica em alguns dos detentos em Curitiba para conseguir novas delações contra Lula mas o problema deles é bem maior porque "delação premiada não serve como prova em final de julgamento" e como eu tenho certeza que que eles não tem provas materiais porque deduzo que se as tivessem já teriam deixado vazar para a imprensa eu acho que eles estão sem saída e não tem mais como negar a perseguição politica contra Lula.

A REDE GLOBO ME CONVENCEU A VOTAR NO LULA EM 2018




Abuso de autoridade falta de respeito injuria difamação atentado contra a honra e nenhum documento que prove que Lula é dono de sitio, triplex, terreno etc... Delegados da PF e Juizes deveriam ser proibidos de se filiar a partidos políticos porque não tem equilíbrio e responsabilidade e acabam sendo movidos pela paixão pelo ódio e esquecem a Constituição.






Isoladamente a delação premiada não constitui prova suficiente para a condenação do réu. Isso é texto expresso da lei 12.850/13, art. 4º, § 16, que diz: “Nenhuma sentença condenatória será proferida com fundamento apenas nas declarações de agente colaborador”.

A delação premiada, como se vê, por força da lei, é prova, porém, meramente indiciária, porque se não corroborada por outras provas seguras (que estejam além da dúvida razoável), não vale nada para o fim da condenação (nem sequer do próprio réu, que para colaborar deve confessar participação no delito). Essa é a regra da corroboração.


Eu analisei tudo que se passou e todos os possíveis candidatos as eleições de 2018 foram delatados pela Odebrecht e todos estão na lista de Fachin para serem investigados e não escapou ninguém dos principais presidenciáveis o Senador Aécio Neves PSDB o campeão nas delações, Governador Geraldo Alckmin foi delatado, o Senador José Serra foi delatado, a Cúpula do PMDB foi toda delatada também inclusive o articulador do Golpe de Estado Romero Jucá e seu comparsa Eduardo Cunha que já esta na prisão... nomes como o de Jair Bolsonaro, Doria e Marina Silva não foram delatados mas não tem nenhuma condição intelectual e moral para governar ninguém seria uma desgraça para o Brasil e colocando todos estes fatos em uma balança e pesando tudo e sabendo que segundo o Dono da Odebrecht que afirmou na sua delação que a própria Globo sempre soube do Caixa 2 e só agora depois de 30 anos começou a denunciar sem nenhuma explicação esta emissora de Tv me convenceu a votar em Lula em 2018 e apoiar qualquer candidato indicado por ele e vou repetir o que já falei antes "O Ex Presidente Lula salvou a vida de centenas de milhares de crianças que inevitavelmente morreriam de fome principalmente no norte e nordeste do Brasil onde existe pouca oferta de trabalho e renda, e se o governo neo liberal continuasse no poder o Brasil hoje estaria no mapa da fome no mundo e a imprensa controlada por eles não mostrariam estes fatos em seus Jornais e Redes de Televisão" o ex Presidente Lula é o único dos que defende os mais pobres e os direitos dos trabalhadores e aposentados e meu voto em 2018 vai ser para ele e para qualquer um indicado por ele.

A Odebrecht delatou 12 governadores mais 5 ex presidentes e o nosso atual Presidente e delata tudo isto ao STF no qual todos os Juizes foram indicados por eles e este mesmo STF já falou que não tem estrutura para tantos inquéritos que podem prescrever e nós estamos discutindo o que aqui? não vão condenar nenhum político tradicional... Sarney, FHC, Serra, Aécio, Temer etc... vão arquivar tudo por prescrição ou falta de provas.

Aonde estão as provas materiais de que o Triplex é do Lula? aonde estão as provas de que ele ocultou patrimônio? não existem vocês da imprensa estão querendo distrair o povo enquanto eles votam a reforma da previdência que beneficia vocês e os empresários que os apoiam que devem centenas de bilhões em impostos.

Tudo bem mas agora vamos falar a verdade... Aécio, Serra, Alckmin, e mais de 200 políticos importantes receberam dinheiro de caixa 2 para suas campanhas políticas sabendo ou não sabendo... toda a classe política recebeu segundo os delatores e até gente do judiciário e vocês da imprensa e seus amigos das agências de comunicação e gráficas foram beneficiados e tiveram muitos lucros com o dinheiro do caixa 2 não escondam a verdade e não adianta pedirem a volta dos militares porque em 1964 também teve caixa 2 com malas cheias de dólares para alguns Generais.

Comentei na página da Socialista Morena "vamos ser sinceros e falar a verdade se fizessem uma operação fascista que não respeita a constituição semelhante a Lava Jato nos EUA na Rússia, Inglaterra, Israel, China, devastariam a industria destes países e a classe política também "veneno no C no outros é remédio" "estabelecer uma relação de fato republicana e honesta com as empresas que realizam as grandes obras" isto nunca existiu neste planeta só se encontrarem vida inteligente na Lua de Saturno? aqui neste planeta não existe isto nunca existiu e duvido que alguém me de um exemplo.

sexta-feira, 7 de abril de 2017

SEGURANÇA PARA A CASA BRANCA SE TRADUZ EM PETRÓLEO E SE NÃO PUDEREM COMPRAR VÃO INVADIR






Esta resposta foi dada por um Assessor de Segurança Nacional da Casa Branca, general James Jones, em uma visita ao Brasil. Em demorada audiência com o ministro Edson Lobão, o gringo abriu o jogo. Reconheceu que segurança, hoje, para a nação americana, traduz-se em energia. Garantir petróleo e outras fontes energéticas transformou-se na maior preocupação e no principal objetivo de seu país. Sem combustível, que não produz mais nas quantidades necessárias ao consumo, os Estados Unidos iriam atrás da vaca, quer dizer, para o brejo. Assim, todo o aparato militar é mobilizado para sustentar o abastecimento.

O general não falou, e nem precisava, que por esses motivos os americanos invadiram o Afeganistão e o Iraque destruíram Líbia e grande parte da Síria , como poderão estar a um passo de fazer o mesmo com o Irã e como planejaram o Golpe de Estado no Brasil . Fica ridículo inventar perigos e provocações inexistentes, como a existência de armas químicas  de destruição em massa ou instalações nucleares nos países cobiçados por dispor de petróleo.

Como o Brasil acaba de requerer passaporte para entrar no clubinho dos privilegiados produtores em massa, é bom tomar cuidado porque alguns anos atrás a Petrobras confirmou que dados sobre INFORMAÇÕES sísmicas, que podem incluir a descoberta de petróleo e gás, foram furtados de um contêiner da empresa. Segundo a estatal, as informações eram sigilosas e relevantes. A Petrobras informou apenas que o furto foi feito de uma empresa terceirizada prestadora de serviços, mas não citou nomes e detalhes sobre o conteúdo dos dados roubados, nem se continham números sobre o megacampo de Tupi, na Bacia de Santos. A Petrobras também evitou comentar detalhes do furto, mas disse que possui cópias das informações.



Se não pudessem comprar iriam tomar e foi o que ele fizeram tomando conta da Imprensa e do Congresso e aplicando um Golpe de Estado Parlamentar ilegal e sem precisar movimentar suas tropas para o Brasil.



Depois de pôr a política externa americana de cabeça para baixo, o WikiLeaks acaba de entrar em um território sensível não apenas aos EUA, mas a todo o mundo. O site revelou nada menos do que a relação de pontos situados mundo afora considerados estratégicos para o governo americano

Todos os países ocidentais são de tempos em tempos confrontados com o que denominamos crise de energia, provocada pelos banqueiros internacionais.

Em 1974, por exemplo, o preço do petróleo bruto subiu em espiral devido ao embargo da OPEP sobre o petróleo. Os banqueiros internacionais concluíram, nos bastidores, um acordo com os dirigentes árabes da OPEP. O principio é muito simples. Os árabes ganhariam com isso, pois o preço subiria; o automobilista, quer dizer, o comprador, pagava, e os cartéis do petróleo receberiam. Isso aconteceu com a ARCO, SHELL, MOBIL, EXXON, etc., que estavam ligadas com o Chase Manhattan Bank (Rockefeller). O Chase Manhattan Bank havia por sua vez, concluído um acordo com os dirigentes da OPEP. Estes haviam vendido caro seu petróleo, e sua parte no mercado consistia em colocar seus benefícios por 30 anos a 7% de juros para o Chase Manhattan Bank.

Graças a esses investimentos, empréstimos colossais foram concedidos aos países do terceiro mundo, como o México, o Brasil e a Argentina. Esses países são então sangrados pelo pagamento de juros excessivamente elevados. Para equilibrar esses pagamentos de juros, o que eles só podem fazer através de dinheiro, eles são obrigados a sofrer uma chantagem por parte dos bancos e a aceitar que eles exerçam uma influência ainda maior sobre sua economia e sua política.


Vocês sabem o motivo pelo qual a mídia brasileira fala mal de manhã de tarde e de noite do Governo da Venezuela? porque eles não estão alinhados com os EUA    

Segundo o relatório anual da Organização do Países Exportadores de Petróleo (Opep), divulgado em setembro deste ano, a Venezuela ultrapassou a Arábia Saudita em volume de reservas de petróleo cru. Com  296,5 bilhões de barris em seu solo, a Venezuela torna-se o número um no ranking dos países com maiores reservas de petróleo, posto ocupado tradicionalmente pela Arábia Saudita, que caiu para o segundo lugar, com 264,5 bilhões de barris.

Em relação ao relatório do ano passado, a Venezuela aumentou em 40% o número de suas jazidas. Já a Arábia Saudita permaneceu estável, por isso essa mudança no quadro mundial da distribuição de petróleo. Em terceiro lugar no ranking dos países com maiores jazidas aparece o Irã, com 151,1 bilhões de barris e, em quarto, o Iraque, com  143,1 bilhões de barris.


Ainda faltam estudos que avaliarão se todas essas novas jazidas de petróleo venezuelano são economicamente viáveis. Por hora a informação é recebida com cautela pelo mercado mundial.