AS MORTES MISTERIOSAS DE POLÍTICOS BRASILEIROS “QUEIMA DE ARQUIVO”OS ARQUIVOS ULTRASECRETOS

PAULO MALUF  APRESENTANDO A POLÍTICA BRASILEIRA ALÉM DA IMAGINAÇÃO 




Uma grande conspiração para fazer parecer um acidente que levou a morte do Ministro Teori Zavascki relator da Lava Jato. Vamos aos fatos porque a sua morte resultaria na redistribuição dos milhares de processos que estavam em sua mesa envolvendo seus colegas juízes, empresários importantes e com uma simples canetada outro juiz arquivaria. A PF com uma desculpa alternativa esfarrapada pede ao MPF para arquivar a investigação é muito estranho. Eu presumo que entre os conspiradores esta um juiz do STF e membros da própria PF eu sou médium e posso ler os mais secretos pensamentos;

"Não esperem que seja uma possível sabotagem no avião de Teori um serviço de amador porque eles estavam monitorando o avião há mais de um mês e estes profissionais sabem como causar uma pani nos instrumentos e desorientar o piloto e os técnicos responsáveis devem investigar isto porque eu não acredito em falha humana segundo os próprios colegas do Piloto e a possibilidade de acidente com um avião com um Ministro do Supremo Relator do processo mais importante da história do Brasil é uma em dois milhões"

É ISTO QUE ELES VÃO FAZER  

     E mesmo se for provado pela perícia que houve sabotagem na Aeronave isto não será divulgado para a imprensa e muito menos para o público.   

A lei que regula esse assunto é a lei 4.553/02, que estabelece quatro graus de sigilo:

Ultrassecreto: informações referentes à soberania e à integridade territorial nacionais, a planos e operações militares, às relações internacionais do país, a projetos de pesquisa e desenvolvimento científico e tecnológico de interesse da defesa nacional e a programas econômicos, cujo conhecimento não-autorizado possa acarretar dano excepcionalmente grave à segurança da sociedade e do Estado. Prazo máximo: 30 anos, prorrogáveis.


Secreto: informações referentes a sistemas, instalações, programas, projetos, planos ou operações de interesse da defesa nacional, a assuntos diplomáticos e de inteligência e a planos ou detalhes, programas ou instalações estratégicos, cujo conhecimento não-autorizado possa acarretar dano grave à segurança da sociedade e do Estado. Prazo máximo: 20 anos.


Confidencial: informações que, no interesse do Poder Executivo e das partes, devam ser de conhecimento restrito e cuja revelação não-autorizada possa frustrar seus objetivos ou acarretar dano à segurança da sociedade e do Estado. Prazo máximo: 10 anos.

Reservado: informações cuja revelação não-autorizada possa comprometer planos, operações ou objetivos neles previstos ou referidos. Prazo máximo: 5 anos.    

Com certeza o caso do Ministro do STF Teori Zavaski será enquadrado como segredo e vai ficar assim por no minimo 30 anos e o que esperamos nós brasileiros que clamamos por justiça e que a Ministra Carmem Lúcia homologue as delações e continue o trabalho de Teori para que aqueles que torciam pela sua morte sejam punidos pela nossa justiça porque pela justiça do além é certo de que eles não vão escapar porque ela não falha.      


Eu não acredito em acidente na véspera da homologação da delação premiada da Odebrecht derrubaram o avião do Ministro do Supremo e isto deve ser investigado porque o resultado e a consequência da morte dele vai atrasar todo julgamento por muitos anos.       

 

Com certeza o caso do Ministro do STF Teori Zavaski será enquadrado como segredo ULTRA SECRETO e vai ficar assim por no minimo 30 anos e o que esperamos nós brasileiros que clamamos por justiça e que a Ministra Carmem Lúcia homologue as delações e continue o trabalho de Teori para que aqueles que torciam pela sua morte sejam punidos pela nossa justiça porque pela justiça do além é certo de que eles não vão escapar porque ela não falha.      

Nesta foto tirada para mostrar para a imprensa ele já estava morto e os médicos estão o segurando para não cair, observem os olhos e as mãos do presidente assassinado.




“No dia 21 de abril de 1985, o país inteiro parou para acompanhar o fim da agonia de Tancredo Neves” esta foi uma das maiores mentiras da História da Imprensa Brasileira porque ele Tancredo que também era maçon foi assassinado e já estava morto há semanas e num acordo entra a maçonaria e os militares eles combinaram de só dar a noticia de sua morte somente no dia 21 de abril porque coincidia com o dia da morte de Joaquim José da Silva Xavier, o Tiradentes que também era maçon e foi assassinado no dia 21 de abril de 1792)”




O ASSASSINATO DE TANCREDO NEVES 

Arena matou Tancredo Neves? 

"Tancredo foi assassinado quando perceberam que a vitória era inevitável 

Após 38 dias de agonia, e sete cirurgias, o primeiro presidente civil eleito desde o Golpe Militar, morre. Assume o vice da chapa, José Sarney, do PFL, partido fundado por dissidentes do PDS. Com ele, o poder permanecia nas mãos dos que apoiavam o regime militar. Muitos acreditam que sua morte tenha sido um plano arquitetado pelos líderes do regime autoritário, quando perceberam que sua vitória era inevitável.
Sabe-se que o hospital da Base de Brasília não possuía todas as exigências para a cirurgia que ele deveria sofrer. No entanto, os médicos vetaram a transferência para o Instituto do Coração, em São Paulo, alegando que a cirurgia deveria começar, em, no máximo, uma hora. Somente três horas depois, os médicos começaram a operação, com 40 pessoas dentro do centro cirúrgico. 

Outro fato estranho: ao mesmo tempo em que Tancredo era internado com fortes dores abdominais, o seu mordomo, João Rosa, começou a sofrer dores similares. João, funcionário do Planalto, acompanhava Tancredo em sua residência provisória, na Granja do Riacho Fundo. Ficou 16 dias no hospital e, como Tancredo, sofreu sete cirurgias antes de morrer. A doença foi diagnosticada como diverticulite - primeiro diagnóstico do presidente. 

João e Tancredo sentiram os mesmo sintomas num intervalo curto de tempo. Como conviviam no mesmo local, pode-se suspeitar que ambos tenham sido envenenados: o presidente eleito era o alvo principal; o mordomo tivera o azar de estar no local errado, na hora errada.

Outra pista de que a morte de Tancredo não foi fatalidade, mas um plano minuciosamente arquitetado: em 1996, durante uma entrevista ao programa "Roda Viva", de São Paulo, o general Newton Cruz admitiu que, em outubro de 84, quando era comandante militar do Planalto, foi procurado pelo então candidato Paulo Maluf, que teria proposto um golpe militar, caso Tancredo fosse eleito, justificando que o adversário estava muito doente. 

Como Maluf poderia saber da doença de Tancredo com seis meses de antecedência?" 



No mês da morte de Trancredo A rede globo mostrou uma reportagem especial sobre a morte de trancredo. 

Conversando com um professor de história ouvi a história de que Tancredo Neves foi assassinado,então eles inventaram o conto da diverticulite,que agora vem sendo questionado e a rede globo tenta manter as aparências de seu passado militar. 

O que sei é que no dia de sua posse,na missa celebrativa(catedral de Brasília),acabou a luz e ouviu-se um tiro(ou algo parecido),...dias depois foi divulgado que Tancredo teve uma crise e estava no hospital(UTI),no caso ele já estaria morto,mas os militares que por sinal apoiavam Sarney,encobriram a noticia e deixaram para divulgar sua morte no dia 22/04,coincidência com Tiradentes?,não fizeram isso pensando na comoção nacional... 

Diz-se ainda que a repórter Gloria Maria ,presenciou a cena,e teve que ir fazer umas ?reportagens? por alguns anos na Finlândia... 

MORTES MISTERIOSAS “QUEIMA DE ARQUIVO”

A doença súbita de Tancredo foi óbvia. Assim como a morte montada para o assassinato de PC Farias. Assim como o óbito inexplicável da esposa de PC Farias, logo depois dela ameaçar dizer o que sabia.
Outra morte misteriosa foi a do Ministro Sérgio Motta. Ele foi o responsável pela privatização do sistema Telebrás (na época um dos maiores cabides de emprego do governo)

“Gravações obtidas pelo jornal, Folha de São Paulo, envolveram o ministro no escândalo de compra de votos para a aprovação da emenda de reeleição de FHC.

Nas gravações, o deputado João Maia (PFL). dizia que recebeu R$ 200 mil para votar a favor da emenda que permitiu a reeleição de FHC. O deputado revela ainda que a barganha pelo voto previa receber R$ 200 mil do governo federal e outros R$ 200 mil do governo do Estado do Acre. O dinheiro usado na operação, segundo Maia, foi providenciado pelo governador do Amazonas, Amazonino Mendes (PFL), e pelo ministro Sérgio Motta. (...)

Caso Tancredo Neves

Tancredo nao tomara posse, entao o legitimo sucessor, era o Pres.da Camara, Ulysses Guimaraes. Mas, infelizmente, por pressoes de militares, de parte do PMDB(o Ministerio de Tancredo ja havia sido montado) e do PFL, Sarney assumiu. 

Caso Ulysses Guimaraes/Impeachment de Collor.

Como sabemos, a campanha de Collor e Itamar(seu Vice, eleitos na mesma chapa), foi feita e financiada por um grande esquema de corrupção, PC Farias. Mesmo que Itamar nao soubesse desse esquema, ele foi beneficiado, como integrante da chapa eleita. Tanto que o mais correto juridicamente, era cassar Collor e seu Vice, Itamar. Nesse caso, assumiria o Pres.da Câmara, interinamente por 30 dias, e convocaria uma eleição indireta, pra eleger um Presidente para completar o mandato. Ou então, o TSE empossaria o segundo colocado na eleição de 1989 (Lula). No caso, a eleiçao indireta era a mais logica. E caso ela ocorresse, sem sombras de duvidas, que Ulysses seria eleito o novo Pres.da Republica, com o apoio unanime do Congresso Nacional.

Nesse caso, a morte de Ulysses, interessava principalmente a Itamar(assumiria a Presidencia), ao PT(interessados numa hipotese da posse de Lula), ao PSDB(Itamar ha havia prometido Ministérios e apoio à PresidÊncia,em 1994),PDT(Brizola,era o candidato de Collor a Presidencia) è a Collor e aliados(PFL e PTB, desejosos de vingança).

Vale lembrar, que se Ulysses tivesse ganho a Presidência, Quercia seria eleito Presidente em 1994,com apoio dele.E o PMDB ficaria anos na Presidência...


Vou informar a vocês o que me enviaram, Ulysses Guimarães teria descido do helicóptero com os outros passageiros em um sítio na região onde foram vistos por um morador que comentou isto em um debate, eles teriam desistido da viagem devido ao tempo que não era favorável?  Ulysses e os outros que estavam com ele no helicóptero entraram em dois veículos de cor preta com placas oficiais e foram assassinados em outro local? os destroços do helicóptero e os corpos desapareceram!!!!! 


RECENTEMENTE

O suposto acidente com o avião de Eduardo Campos e 
JOSÉ AUGUSTO PANCINI e mais ligado aos ''investidores internacionais'', travou uma aberta guerra contra outro setor ligado a outro Vice- Presidente MARCO ANTONIO ROSSI ( ''morto'' recentemente em acidente aéreo em Goiás). Sua morte foi acompanhada de enormes suspeitas , uma vez que ROSSI estava ligado a setores mais internos do País. O avião que conduzia MARCO ANTONIO ROSSI saiu de Brasília com destino a São Paulo e ''caiu misteriosamente''. O império pode ter derramado o sangue dos seus próprios entes para dar espaço aos mega-lucros dos especuladores internacionais e mesmo os gigantes financeiros não podem sair da mira e dos interesses dos imperialista.





Trecho da entrevista do presidente da Federação Nacional dos Policiais Federais Francisco Carlos Garisto concedida para a revista Caros Amigos

Sérgio de Souza - O que é o Comando Delta?

Garisto - O Comando Delta é a fábrica de presidentes, é o que comanda o sistema brasileiro, que fez a reunião para escolher o Fernando Henrique, que já deve estar fazendo reunião para convidar outro.

João de Barros - Quem faz parte desse Comando?

Garisto - Ah, esse comando é florido! Não vou entrar nessa, que essa eu não posso.

Sérgio de Souza - Não precisa dizer os nomes, só os cargos, ou de que áreas.

Garisto - De todas. De médico a político, a tudo. Eles se reúnem e não existe uma coisa planejada. O camarada, por exemplo, é dono de uma escola e está faturando milhões, se entrar o Lula: "Aí ele vai me ferrar, estou ganhando 100 milhões por ano...".

Quase todos - Di Genio?

Garisto - Vocês que estão falando. Aí tem, por exemplo, um banqueiro ? quero ver vocês falarem agora.

Wagner Nabuco - Tem muitos.

Garisto - Aí você tem o sistema bancário, por exemplo, e os caras faturando um bi por ano, você pega o último balanço do banco e ele passa a ser o primeiro ? estou dando dica pra caramba ?, aí você vê um cara desses correr risco de entrar um maluco qualquer na presidência da República; não é aquele conluio de conspiração para matar o Kennedy, mas é aquela coisa que você se organiza para manter o status quo: "Vem cá, meu irmão, o que vamos fazer?" E eles chamam de Comando Delta: "Não está na hora de reunir o Comando, não?" Então, eles chamam um, chamam o outro, se reúnem.

Wagner Nabuco - Tem um secretário?

Garisto - Não tem secretário, nem presidente, não é conspiração, é informal, cuidam dos interesses deles com as armas que têm: grana!

João de Barros - Mas é palaciano?

Garisto - É pré-palaciano. E depois levam o resultado. Então, você reúne a empreiteira que faturou não sei quantos milhões, o banqueiro que ganha não sei quantos milhões, e aí você tem que eleger uma pessoa para comandar os trabalhos, como na maçonaria tem o grão-mestre, aquelas coisas.

Verena Glass - Tem consultor externo?

Garisto - Tem de tudo. Hoje, você está conversando, amanhã os caras estão entregando. Uma vez dei uma entrevista na televisão e falei: "O Comando Delta acaba escolhendo um presidente aí". Só falei isso, e a entrevistadora, na hora: "Quem é o Comando Delta?" Eu: "As pessoas ?de bem? do país, pessoas que comandam a economia, o mercado". Rapaz, deu um bode desgraçado! Ela me ligou depois de dois dias e disse: "Garisto, o que tem de gente ligando querendo saber do Comando Delta". Falei: "Isso é coisa do Chuck Norris, Comando Delta 2, 3, pára com isso! Tô fora, porque eles são muito fortes". São unidos, ricos e inteligentes. Aquela operação toda feita no seqüestro do Diniz, organizado, bonitinho, vocês da mídia são os donos dela através do representante maior de vocês ? daqui a pouco estou falando o nome, que já ganhou a segunda tartaruga agora. Ele ganhou a segunda tartaruga porque a outra morreu. (risos)


Sérgio de Souza - Ficou para trás aquela história do golpe de Estado.

Garisto - O golpe que não houve. Estávamos fazendo uma greve e eu estava comandando, era presidente da Federação Nacional dos Policiais Federais...

Sérgio de Souza - Que ano era isso?

Garisto - 1994. Aí tem nome, e eu dou porque falei pra eles que ia escrever um livro e eles falaram que podia botar, então está liberado: é o Moroni Torgan e o deputado federal Luciano Pizzatto, que estão na ativa ainda. O Luciano Pizzatto, na época, era presidente da Comissão de Segurança Nacional da Câmara, muito ligado aos militares. E o Moroni era líder do governo do Itamar. É meu amigo particular, já o conhecia desde aquela época. Aí estávamos comandando aquela greve e dez dias, quinze dias, a Veja deu capa, a IstoÉ deu capa. A Veja deu: "Baderneiros ameaçam autoridade do governo". E o distintivo da Polícia Federal. A IstoÉ deu: "Rebelião dos tiras".. E o distintivo da Polícia Federal. E aí fui no Jô, fui em tudo quanto é canto por conta da greve. O que queríamos? Queríamos o mesmo salário que a Polícia Civil do Distrito Federal recebia. Porque tinha a lei 7.702 que dizia: "Policial federal tem que ganhar igual a policial civil". E não estavam cumprindo. Você é um policial, obriga todo mundo a cumprir a lei e não cumprem pro policial, então fomos pra greve. E aí todos os Estados entraram em greve, dez dias, vinte, trinta, quarenta, cinqüenta dias. "Como é que vamos acabar essa greve?" Aí eles queriam assumir — eles, vou dar nomes —, queriam assumir o controle da Polícia Federal. Os militares, as viúvas do SNI querem o controle da Polícia Federal porque é o instituto legal que detém hoje as coisas que têm que ser feitas no país: Collor, PC, agora esses deputados todos aí, você vê que rola tudo na Federal. E os militares tiveram o comando da Polícia Federal desde a sua criação. Ela foi criada pra ser um braço civil deles. E botaram lá o general Bandeira, o coronel Moacir Coelho, depois o coronel Araripe. O primeiro civil foi o Romeu Tuma, que era superintendente da Polícia Federal em São Paulo, colocado pelo senhor Georges Gazale, que era amigo pessoal do Figueiredo. "Ah! O primeiro civil." Civil com aspas, né? Porque o Tuma não é propriamente um civil: era chefe do DOPS. Comandou aquilo tudo, mas passou como bonzinho, os amigos que trabalharam com ele foram quase todos execrados na mídia pelas merdas que fizeram e depois foram abandonados pelo chefe.

Sérgio de Souza - Dizem até que ele acabou com a tortura nos porões.

Garisto - Isso é brincadeira! Você levanta os caras que sumiram na época em que ele era diretor do DOPS. Porque quem comandava a tortura era o Fleury, não era ele. Só que ele sabia, o Fleury não fazia nada sem ele. E, é lógico, ele passou incólume, sorte dele, é inteligente, estamos em outra época e ninguém quer caçar defunto. Aí o que acontece? O Tuma manteve o mesmo controle, passava as informações todas pros milicos. Os milicos: "Fulano não quer aprovar a compra dos tanques, quem é ele?" "Eu vou levantar." É assim que se processavam as coisas. Aquele maldito tráfico de influência que se operava através da Polícia Federal. Mas ela foi crescendo num processo de democratização, culminando com a indicação: "Agora não pode mais colocar um militar, porque o período não está permitindo mais, a Polícia Federal cresceu, está investigando índio, terra, tudo, vamos colocar um civil". Aí bota o Galdino, de formação igualzinha à do Tuma. O Galdino foi acusado de tortura. O livro Brasil! Nunca Mais tem o nome do Galdino. E ele foi colocado de diretor, quer dizer, a mesma coisa. E se reportava aos milicos daqui e de lá. Aí coloca um outro ligado, mais um outro ligado, aí vem passando, você chega no Chelloti. O Chelloti coloca uma mentalidade nova e não dá bola para os milicos. Aí os milicos tinham que derrubar o Chelloti, certo? E vem o coronel Wilson Brandi Romão, que foi chefe da Conab e foi acusado de um enorme prejuízo na Conab, deixou apodrecer feijão, aquele negócio todo. Como prêmio por ter dado um prejuízo de 50 milhões à Conab, ele foi assumir a Polícia Federal. Assumiu para acabar com a indisciplina do sindicato, que estava ameaçando greve: "Vamos botar um coronel de novo, que a disciplina está sendo quebrada, está sendo rompida. O Tuma não tem mais autoridade e nem o Galdino, vamos botar o coronel".


"O Comando Delta é a fábrica de presidentes, é o que comanda o sistema brasileiro, que faz a reunião para escolher FHC, que já deve estar fazendo reunião pra convidar outro."


Comando Delta é o nome que se deu (batizado por eles mesmos) às pessoas que verdadeiramente governam este país desde 1500. São grandes e megaempresários nacionais e internacionais de todas as áreas, são funcionários do Executivo, Judiciário e Legislativo, além de organismos internacionais de investigações governamentais, que se unem para ditar as regras de tudo e para todos, principalmente na escolha do presidente da República. Foram eles que decidiram que Sarney tinha de tomar posse, e não Ulysses Guimarães, como mandava a Constituição Federal. Foram eles que decretaram que Collor tinha de sair pela porta dos fundos, investigando e achando a corrupção praticada por eles mesmos, que deram dinheiro para a campanha de Collor e depois denunciaram. Foram eles que decretaram que FHC seria o candidato e não o deixaram apoiar Collor como queria. Agora eles se unem desesperados para fazer o sucessor de FHC. Queriam Aécio como candidato, mas o teimoso Serra atrapalhou e deixou muita gente nervosa. A imprensa noticiou reuniões “secretas” de banqueiros, empresários e empreiteiros com Aécio, Serra e FHC, bem antes do início das disputas. Agora contam também com especuladores internacionais que ditam normas para nossa economia, com aumentos injustificáveis do dólar e de pressões de acordos antecipados. Se não bastasse, o Comando Delta recebeu como membros os mais novos interessados, que são os empresários internacionais que ganharam as teles de presente de FHC. Esse pessoal do Comando fatura 90 por cento do que se lucra no país e não irá abrir mão de continuar a faturar como querem e bem entendem, em detrimento da sofrida população brasileira. Irão tentar fazer o Presidente da República a qualquer custo. Qualquer! (Francisco Carlos Garisto, presidente da Federação Nacional dos Policiais Federais) Na defesa dos interesses dos oprimidos, o Ministério Público entra em choque necessariamente com os interesses dos parasitas sociais, dos que controlam o Estado, dos que obtêm rendimentos de estruturas de dominação, de exclusão e de opressão social. Os interesses opressores, não contentes com a exploração dos trabalhadores e dos consumidores, via cartéis etc, locupletam-se com mais de 200 bilhões de reais por ano, no mínimo, em atividades como corrupção, sonegação e a rolagem imoral da dívida pública. Através da sonegação, da corrupção e do mecanismo da rolagem da dívida pública, aqueles que exploram e parasitam o povo controlam o Estado e mantêm a situação de iniqüidade atual. Por isso, o Brasil é o campeão em má distribuição das rendas, tal como é um dos campeões em juros altos, em latifúndios, em grilagem, em corrupção, e mais recentemente em desnacionalização de sua economia, neocolonialismo econômico e cultural explícito etc. (Procurador da República Luiz Francisco Fernandes de Souza)


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

TODO O NOSSO APOIO AO DESEMBARGADOR FAVRETO QUE DEU HABEAS-CORPUS AO EX PRESIDENTE LULA

A PF SABE QUE TEORI ZAVASKI FOI ASSASSINADO E QUE NÃO FOI ACIDENTE ESTÃO EM BUSCA DE PROVAS

A REDE GLOBO ME CONVENCEU A VOTAR NO LULA EM 2018 E CONVENCEU O JUDICIÁRIO A IMPEDIR ENTÃO VOU VOTAR EM HADDAD