sexta-feira, 22 de junho de 2018

VAMOS VOTAR NO LULA OU NO CANDIDATO QUE ELE INDICAR E NÃO TEM CONVERSA




Existe um grupo de Juízes de Brasilia, do Paraná e do TRF 4 empenhados e determinados a impedir a candidatura de Lula há qualquer custo e também estão de prontidão para atacar um possível plano B do PT para concorrer como substituto de LULA no momento em que eles descobrirem este nome vão acionar a imprensa para tentar desqualificar este candidato ou vão mandar algum preso forjar alguma delação e isto é uma conspiração de verdade contra o PT podem ter convicção e tentar se defender de todas as formas legais.



O ex presidente Lula é o único que defende os interesses de 95% da população e dos trabalhadores brasileiros e os outros 5% são os que patrocinaram o Golpe e que dividem os lucros do trabalho de 95% dos trabalhadores brasileiros e isto é fato... qualquer outro candidato do MDB do DEM do PSDB, Bolsonaro etc.. defendem as elites que devem bilhões em impostos e por isto se forem eleitos vão aprovar a Reforma da Previdencia e a maioria dos trabalhadores brasileiros vai morrer antes de conseguir se aposentar porque a idade miníma de 65 anos é uma meta quase impossível para grande maioria que pega no pesado e que construiu este país. 

Nós eleitores tivemos nossos votos roubados pela quadrilha do Eduardo Cunha e agora eles vão nos pagar com juros e correção monetária o preço do golpe e nós vamos votar no Lula ou no candidato que ele indicar se o judiciário o impedir de concorrer e já me manifesto indicando a Senadora e presidente do PT Gleisi Hoffmam e espero que isto não cause ciumes ou divisão no PT porque ela na minha opinião e na de muitos outros petistas é a mais qualificada para enfrentar os golpistas porque é bonita, inteligente e tem a mesma forma de pensamento de todos nós da esquerda de verdade porque é contra as privatizações, é contra a reforma da previdencia, e defende os interesses da classe trabalhadora.. e sem esquecer que ela não tem medo de falar e fala na cara dos golpistas todos os dias no congresso. 

Agora leiam todos os detalhes do golpe que o Brasil sofreu.        

      Em entrevista concedida em um programa da rede CBS, o candidato republicano colocou o Brasil ao lado de China, Japão e Índia entre os países que supostamente estariam “roubando” postos de trabalho de norte-americanos. Para ele, trazer de volta esses empregos seria uma das medidas para fazer dos Estados Unidos um país “forte novamente”.

“Olhem a quantidade de desperdício, fraudes e abusos que temos, é incrível. Vou trazer de volta postos de trabalho da China, do Japão, da Índia, do Brasil”, afirmou.



Minha humilde opinião.

Como vocês meus leitores já sabem eu não tenho compromisso com nenhuma teoria ou denúncia e apenas faço o que deve ser feito para adquirir conhecimento OBSERVAR TUDO e uma coisa que aprendi é que não devemos duvidar de nada e muito menos do Governo Norte Americano interesseiro e disposto a subornar ameaçar e matar e a fazer qualquer coisa para defender os seus interesses em detrimento do resto do mundo que na cabeça deles não passam de animais domesticados que não podem ou não devem se governar ou ter soberania como queiram.  

OBSERVAR TUDO 

E, em meio à tensão da Operação Lava Jato, o juiz Sergio Moro viajou aos EUA para palestras na Universidade da Pensilvânia. Nesta quinta (15), ele tinha participação confirmada como o convidado principal de um simpósio com o tema “Produzindo Líderes de Caráter e Integridade: Incutindo Valores na Vida Pública”.
CURRÍCULO 2
Moro foi descrito no programa do evento como um “líder central no fortalecimento do Estado de Direito” no Brasil pelo trabalho de “repressão à corrupção, alcançando o alto escalão das lideranças empresariais e políticas”.

Eu não vou pensar por vocês já cheguei a minha conclusão. 


O Procurador da Lava Jato Deltam Dallagnol tem uma interpretação estranha da história e acha que foi a colonização portuguesa quem legou a corrupção à terra natal. Quem veio de Portugal para o Brasil foram degredados, criminosos e quem foi para os Estados Unidos foram pessoas religiosas, cristãs.

A operação do Juiz Sérgio Moro permitiu recuperar até o momento 1 bilhão de euros (cerca de R$ 4,2 bilhões) mas os impactos diretos e retiraram mais R$ 142,6 bilhões da economia brasileira levando a falência milhares de empresas e deixando milhões de brasileiros desempregados o equivalente a uma retração de 2,5% do PIB que ótimo negocio para a economia das nações concorrentes.

A Petrobras, que reduziu em 37% o volume de investimentos previstos entre 2015 e 2019,
A redução dos investimentos da Petrobras e do setor de construção de obras públicas, contabilizando as perdas no valor bruto da produção, nos empregos, nos salários e na geração de impostos.

O grosso das demissões ainda não ocorreu teremos mais de 2 milhões de empregos a menos no país.
A forma pela qual a Lava Jato vem sendo tocada, com excesso de publicidade e pouco critério na divulgação das delações, aumenta desnecessariamente o custo sobre emprego e produção"
O resultado desastroso das ações de Moro vai levar o Brasil vai ter á a terceira maior população de desempregados entre as maiores economias do mundo.

Estou fazendo um trabalho baseado no que venho observando e depois eu vou criar um tópico enumerando todos os aspectos que provam que este Juiz esta trabalhando para o Governo dos EUA e atacando setores estratégicos da nossa Economia e Soberania e ligando tudo que esta acontecendo ao projeto do Submarino Nuclear brasileiro a Base de Alcântara o Projeto do Foguete lançador de Satélites, a entrega das reservas do Pré Sal, do Nióbio e do Aquífero Guarani.



WASHINGTON POR ORIENTAÇÃO DE WALL STREET COMANDOU O GOLPE DE ESTADO NO BRASIL DENUNCIA O PROFESSOR CANADENSE MICHEL CHOSSUDOVSKY






Consenso de Washington é uma conjugação de grandes medidas - que se compõe de dez regras básicas - formulado em novembro de 1989 por economistas de instituições financeiras situadas em Washington D.C., como o FMI, o Banco Mundial e o Departamento do Tesouro dos Estados Unidos.




Como diz o artigo do Professor Michel Chossudovsky o controle sobre a política monetária brasileira e a reforma macroeconômica eram os objetivos últimos do golpe de Estado. As nomeações principais do ponto de vista de Wall Street são o Banco Central, que domina a política monetária e as operações de câmbio, o Ministério da Fazenda e o Banco do Brasil”, diz o artigo, ressaltando que, desde o governo FHC, passando por Lula e Temer, Wall Street tem exercido controle sobre os nomes apontados para liderar essas três instâncias estratégicas para a economia brasileira.

“Em nome de Wall Street e do ‘consenso de Washington’, o ‘governo’ interino pós-golpe de Michel Temer nomeou um ex-CEO de Wall Street (com cidadania dos EUA) para dirigir o Ministério da Fazenda”, diz o artigo, referindo-se a Henrique Meirelles, nomeado em 12 de maio.

Meirelles, que tem dupla cidadania Brasil-EUA, serviu como presidente do FleetBoston Financial (fusão do BankBoston Corp. com o Fleet Financial Group) entre 1999 e 2002 e foi presidente do Banco Central sob o governo Lula, entre 1º de janeiro de 2003 e 1º de janeiro de 2011. Antes disso, o atual ministro da Fazenda, que volta ao poder sob o governo Temer após ter sido dispensado por Dilma em 2010, também atuou por 12 anos como presidente do BankBoston nos EUA. Já o atual presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn, nomeado por Temer em 16 de maio, tem dupla cidadania Brasil-Israel e foi economista-chefe do Itaú, maior banco privado do Brasil. Segundo o artigo, Goldfajn “tem laços estreitos tanto com o FMI [Fundo Monetário Internacional] quanto com o Banco Mundial”.

“Goldfajn já havia trabalhado no Banco Central sob Armínio Fraga, bem como sob Henrique Meirelles. Ele tem estreitos laços pessoais com o prof. Stanley Fischer, atualmente vice-presidente do Federal Reserve dos EUA [além de ex-vice-diretor do FMI e ex-presidente do Banco Central de Israel]. Desnecessário dizer que a nomeação de Golfajn ao Banco Central foi aprovada pelo FMI, pelo Tesouro dos EUA, por Wall Street e pelo Federal Reserve dos EUA”, afirma o artigo.

Fraga, por sua vez, atuou como presidente do Banco Central entre 4 de março de 1999 e 1º de janeiro de 2003.  Ele foi diretor de fundos de cobertura (hedge funds) por seis anos na Soros Fund Management (associada ao magnata George Soros), e também tem dupla cidadania Brasil-EUA.

“O sistema monetário do Brasil sob o real é fortemente dolarizado. Operações da dívida interna são conducentes a uma dívida externa crescente. Wall Street tem o objetivo de manter o Brasil em uma camisa de força monetária”, explica o professor canadense.

Por isso, afirma o artigo, quando Dilma Rousseff aponta um nome não aprovado por Wall Street para a presidência do Banco Central, a saber, Alexandre Antônio Tombini, cidadão brasileiro e funcionário de carreira no Ministério da Fazenda, é compreensível que os interesses financeiros externos se articulem aos interesses das elites brasileiras para mudar o quadro político no país.



No início de 1999, na sequência imediata do ataque especulativo contra o real o presidente do Banco Central, Francisco Lopez (que havia sido nomeado em 13 de janeiro de 1999, a Quarta-feira Negra) foi demitido pouco depois e substituído por Armínio Fraga, cidadão americano e funcionário da Quantum Fund de George Soros em Nova York.



Sob Lula, o apontamento de Meirelles para a presidência do Banco Central do Brasil dá seguimento à situação, diz o artigo, destacando que o nomeado já havia atuado anteriormente como presidente e CEO dentro de uma das maiores instituições financeiras de Wall Street. “A FleetBoston era o segundo maior credor do Brasil, após o Citigroup. Para dizer o mínimo, ele [Meirelles] estava em conflito de interesses. Sua nomeação foi acordada antes da ascensão de Lula à presidência”, escreve o autor.

Além disso, Meirelles foi um firme defensor do controverso Plano Cavallo da Argentina na década de 1990: “um ‘plano de estabilização’ de Wall Street que causou grandes estragos econômicos e sociais”, segundo o professor Chossudovsky.  De acordo com ele, “a estrutura essencial do Plano Cavallo da Argentina foi replicada no Brasil sob o Plano Real, ou seja, a imposição de uma moeda nacional conversível dolarizada. O que este regime implica é que a dívida interna é transformada em uma dívida externa denominada em dólar”. Quando Dilma sobe à presidência em 2011, Meirelles é retirado da presidência do Banco Central. Como ministro da Fazenda de Temer, ele defende a chamada “independência do Banco Central”.


 FONTES INTERNACIONAIS PESQUISADAS

 https://richardedmondson.net/2016/08/31/coup-in-brazil-rousseff-impeached-by-senate/


http://www.globalresearch.ca/wall-street-behind-brazil-coup-d-etat/5526715

http://www.mondialisation.ca/le-changement-de-regime-au-bresil-est-officiel-coup-detat-moderne-a-la-bresilienne-ou-a-la-wall-street/5520578


https://richardedmondson.net/2016/08/31/coup-in-brazil-rousseff-impeached-by-senate/










Nenhum comentário:

Postar um comentário

NÓS SOMOS MAIS DE 50 MILHÕES DE PRESOS POLÍTICOS JUNTOS COM LULA

Como disse a Senadora Gleisi Hoffmann Presidente do PT eles não podem encarcerar a vontade do povo brasileiro de eleger Lula P...